sexta-feira, janeiro 26

ALTERAÇÕES



Caros Amigos.

Como já terão notado, o COISAS está a aparecer de uma forma pouco ortodoxa nos Browsers. Estando o Blog Optimizado para o Firefox, através do IE, a barra lateral direita (side bar), aparecia em condições no primeiro, mas no segundo, o do B. Gates talvez por em tempos aqui ter sido alvo de "bocas" aqui no sítio, a mesma barra era apresentada ao final da coluna de posts. Estou a trabalhar na resolução do assunto, mas, não sendo expert em html, a coisa pode levar algum tempo e mais se pode agravar a situação se o COISAS for objecto de algum embargo do Sá Fernandes ou algo do género.

Bom fim-de-semana a todos os visitantes e Amigos do COISAS.

Abraços.

Jó Carvalho

quarta-feira, janeiro 24

Histórias de uma Helpdesker - Mails que se enviam sozinhos...

O cliente liga e queixa-se de que recebe mails, mas não consegue enviar.
Após a identificação do serviço do cliente, da respectiva mailbox e do SW utilizado para o uso do correio electrónico... Bem como as devidas configurações de protocolos, servidores, password e endereços... Em que o cliente fez precisamente tudo o que eu lhe dizia...

-Sr. XXX, diga-me por favor, qual a mensagem de erro que verifica quando envia um mail?
-Não faço ideia, menina...
-Vamos então testar, enviando um mail para o seu próprio endereço. Assim, testamos as duas vias de comunicação. Crie um novo mail, com o assunto Teste e envie-o para si próprio.
-Eu não sei fazer isso.
-?!? É efectuado da mesma forma que os mails que envia para os seus contactos. A única diferença, é que no destinatário, vai colocar o seu proprio endereço.
-Mas eu nunca mandei mail para ninguém. Nunca fiz isso.

Fiquei completamente em branco, a tentar perceber a lógica da situação e onde é que eu tinha falhado na comunicação... Mentalmente repeti para mim mesma: (não envia mails, mas recebe... Nunca enviou mails para ninguém... Como é que ele sabe que não envia mails? Pelo menos uma vez deve ter tentado... Falta-me aqui qualquer coisa...)
Questionei o cliente, sobre o que o levava a verificar que não enviava mails:
-Eu quando abro o Outlook, vejo que as mensagens entram sozinhas, mas quando abro aqui o A Enviar, não vejo nenhuma a sair. Ora se elas entram sozinhas também deveriam sair sozinhas, não?

Bom, em 5 minutos, sensivelmente lá ensinei o cliente a usar o Outlook... "Fim da picada"...

Histórias de uma Helpdesker - Loooongeeeeeeeee

Um cliente ligou, solicitando ajuda para resolver a situação. Não tinha net. Não sabendo como resolver pedia ajuda.
-O equipamento que está a utilizar para aceder à Internet é um modem, ou um router?
-É um Router, está aqui à minha frente. (E identifica o equipamento, marca e modelo).
-A luz DSL está apagada, intermitente ou fixa?
-Está fixa. Verde.
-Certo. O PC está ligado ao Router por wireless ou por cabo de rede?
-Por Wireless.
-O PC é um Desktop ou um portátil?
-Portátil.
-Está ligado à tomada de energia, ou por bateria?
-Por bateria.
-Os portáteis devem estar ligado à corrente electrica, se usar o adaptador wireless USB. As baterias utilizam praticamente todos os recursos USB dos portáteis. Tem possibilidade de ligar o PC à corrente?
-Não. Não posso, agora não posso.
-Devido a?
- O Portátil está lá no escritório onde trabalho.
-?!? Desculpe, não percebi...
-Eu ontem, estive aqui em casa a fazer umas coisas na net. E não acabei. Hoje resolvi levar o PC comigo, para acabar. Mas quando lá cheguei, não consegui aceder à net. Axei estranho, porque aqui em casa entro sempre logo tão bem...

Ainda tive a esperança de que o escritório fosse na sala do lado... Ou logo ali à esquina... u no prédio da frente, sei lá! Mas não... Ingenuidade minha... Ficava a uns escassos 45 km... Coisa pouca...
-Se bem compreendi, o senhor pretendia ter internet no escritório onde trabalha, através do seu router... Lamentavelmente isso não será possível. Se consultar o manual do equipamento, poderá certamente verificar a distância máxima entre PC e Router, bem como as precauções a ter em conta para manter um sinal minimamente satisfatório para acesso.
-Mas isto não dá de cá pra lá? Ora bolas, comprei um wireless, porque assim podia levar o portátil para todo o lado e aceder. Pensei que dava.
-Para todo o lado, em sua casa, certamente. Não de sua casa para o escritório...
-Assim, não quero isto!!! E agora?
Entretanto a chamada caiu... Fico com pena de não saber o desfecho desta dificuldade do cliente...

Histórias de uma Helpdesker - Desenrascado!

Pois é... Aqui vai mais uma... Pérola.
O cliente ligou e após se ter identificado, expõe a sua dúvida:
- Quando tento validar-me, diz-me aqui que: " Não foi possível efectuar a autenticação devido ao username ou password estarem errados. Por favor verifique os dados introduzidos e tente novamente". O que é que isto significa?
Respirei fundo... Com o som em mute, claro... Apeteceu-me ser mázinha e dizer que a mensagem de erro era óbvia e esclarecedora o suficiente, mas obviamente não o podia fazer... (ai que pena!)
Respondi:
-Tem a certeza que colocou os elementos de identificação correctos? O seu username e a respectiva password correctamente?
-Não sei.
-Já corrijiu os elementos introduzidos e tentou novamente?
-Isso faz-se como?
(-Ai! - pensei eu... - O que é que me "saiu na rifa"?) -Da mesma forma que iniciou a ligação, na janela onde coloca o seu username e password, deve apagar o conteúdo e voltar a introduzir os elementos de identificação.
-Ah... E isso é muito complicado?
(Tá bonita a festa...) pensei novamente... -Vamos iniciar o processo do início, está perto do computador, para que eu o possa ajudar correctamente?
-Ehr... Bem... Sim... Mais ou menos...
-Então? Como assim?
-Tenho que ir até lá. Não sei se o telefone chega até lá.
-Pode tentar?
-Axa que devo?
-Se pretende resolver a situação, sim.
-Ahh... Vou tentar.
Quando finalmente se sentou em frente do pc:
-Então o que é que tenho que fazer?
-No ambiente de trabalho do monitor, tem certamente um ícon que permite iniciar a ligação, com o nome ADSL. Certo? Faça 2 clics, por favor.
-Sim, tenho. Já fiz. Agora abriu-me aquela janela onde tem o meu username e por baixo uma password.
-Isso mesmo. No campo do username, apague e volte a escrever o username.
Silêncio durante um minuto, em que eu só ouvia teclar afincadamente...
-Ok. Já fiz.
-Que username colocou?
-O XXXXXXXX@xxxx (disse o username completo).
-Correcto. Agora por baixo, no campo da password, faça o mesmo, mas desta vez é para colocar a password referente a esse username.
-Ah, eu já fiz isso, só que aqui tem 8 bolinhas e o meu teclado não tem essa tecla porque já é velhote, por isso, abri o word, fiz uma marca com bolinha, copiei e colei aqui 8 vezes, mas mesmo assim não dá...
Bem, senti-me num daqueles filmes de 5ª dimensão do Alfred Hitchcock... Apeteceu-me bater com a cabeça na mesa... Verifiquei na ficha de cliente, que este, nunca tinha alterado a password, e por isso só podia ser a de origem.
-Sr. XXX, quando adquiriu o kit, junto tinha certamente um envelope com o seu username e uma password. Ainda tem esse documento?
-Sim. Tenho-o aqui na mão. Precisei dele pra colocar aqui o username.
-Verifique se abaixo do username, não tem uma password.
-Sim, uns números.
-Exacto. Coloque-os no campo password, por favor. Essa é a sua password de acesso à Internet. Depois, clique no botão marcar, que se encontra no canto inferior esquerdo dessa mesma janela.
-Está bem.
Uns segundos depois:
-Aqui já diz que o serviço está agora ligado. E agora? Axa que já tenho net?
-Vamos testar. Abra o Internet Explorer, e verifique se já acede.
-Sim, tenho aqui a página do Google. Já tenho net! Yuppi!!!
Despediu-se, e desligou...
Fiquei a pensar na "fácil forma" de contornar a situação dos pontos, que o cliente tinha encontrado... Homem desenrascado...

Histórias de uma Helpdesker - A importância do diálogo...

Aqui está o típico da falta de diálogo...
Um cliente ligou (chamemos-lhe António), e estava furioso:
- Isto dos vossos serviços é tudo uma grande m****, passo a vida nisto, sempre erro de password, e sei que estou a colocá-la bem! Resolva-me já esta m****!
- Boa noite, fala XXX, em que posso ajudar?
- Você ouviu muito bem! Resolva-me esta m**** da password, já!
- O seu nome, por favor? E o seu Username, para que eu possa consultar a sua ficha de cliente.
O cliente lá se identificou.
Pedi para aguardar, e verifiquei a situação... Pois é... Pois é... A julgar pelo histórico de actividades, de facto ele tinha sempre esse problema...
Voltei à linha...
- Sr. António, pelo que verifiquei nos ultimos 15 dias, a password tem sido alterada 2 vezes por dia, uma vez de manhã, e outra à noite. Tem conhecimento desta situação?
- Como assim? De que m**** está você a falar? Eu tenho ligado todos os dias, sim, a esta hora para vocês me resolverem esta gaita! Alterada 2 vezes por dia?
- De facto o Sr. António tem ligado sensivelmente a esta hora, e é alterada a password, mas de manhã, é a Sra. D. Maria (chamemos-lhe assim) que liga e também procede à mesma alteração. Neste momento, para validar o seu acesso à Internet, o Sr. António está a usar a password que foi atribuída esta manhã à Sra. D. Maria?
- Maria? É a minha esposa! Ai ela anda a ligar para aí e altera-me a password? É?
- Efectivamente, sim.
- Bom, vamos lá a confirmar os meus dados, e altere-me então a password, por favor, menina.
"Bem, o tom de voz e a qualidade do português melhorou imenso...", pensei para comigo...
Confirmei os elementos do titular do serviço, alterei a password, informei o cliente, pedi para testar e adverti-o a informar a esposa... De forma a minimizar os erros de password no acesso ao serviço.
O cliente agradeceu, e desligou...
Falta de diálogo, meus amigos... Falta de diálogo...

Diário de uma HelpDesker - O Sr. Não Interessa...

Olá! Aqui vai mais uma, que me aconteceu a semana passada...(Foi uma semana recheada, diga-se...)
O cliente ligou, furioso da vida... Uma linguagem animalesca, bruta, primária...Fechei os olhos, como que ignorando tamanha falta de "higiene moral", respirei fundo e disponibilizei-me para o ajudar a esclarecer a situação que o impedia de aceder à Internet.
Quando lhe perguntei o nome (para saber a quem me dirigia), ele responde:
-Não interessa!
Confesso que eu, estava em mau dia... Apeteceu-me ser mázinha e dar-lhe uma lição. No entanto, não podia "abusar", pois as chamadas são escutadas pelos nossos supervisores e somos avaliados no nosso profissionalismo dessa forma. Mas decidi fazê-lo na mesma. Fico furiosa com pessoas arrogantes... Safa! Pensei cá para comigo: Sou apenas obrigada a cumprir na íntegra o Guião de atendimento do cliente... E de arranjar solução à dificuldade, certo? Cá vai!
- Sr. Não Interessa, qual a marca e modelo do equipamento que está a usar para aceder à internet? Um modem, ou um Router?
Silêncio do outro lado...
Ao fim de alguns segundos:
- É um Router.
- Sr. Não Interessa, qual o modelo?
Silêncio novamente...
- Como posso saber? - disse ele num tom de voz mais brando, mas irritado.
- Pode verificar na base ou na lateral do equipamento, Sr. Não Interessa.
- É um D-Link604.
- O Sistema Operativo é XP ou outra versão, Sr. Não Interessa?
- Sim, XP.
- Sr. Não Interessa, qual a mensagem de erro que visualiza? Ou qual a dificuldade com que se depara?
Ao fim de quase 40 minutos de chamada, sempre a fazer questão de chamar o cliente por Sr. Não Interessa, consegui resolver a dificuldade do acesso. Era o Router mal configurado.
E espero eu que também o cliente tenha ficado com pouca vontade de numa futura vez ser tão indelicado quando alguém lhe pergunta o nome.
Despedi-me:
- Sr. Não Interessa, existe mais alguma questão que deseje ver esclarecida?
- Não, menina. Já aprendi muito por hoje. Obrigado.
E desligou.
Não consegui esconder o meu sorriso maquiavélico... Ehehehe

Diário de uma HelpDesker - A argola com nó!

Bom, voltei à carga, depois de uma fase cheia de trabalho.
Aqui vai mais uma situação que me aconteceu a semana passada:
Um cliente liga e pediu-me ajuda para esclarecer uma situação.
Questionei-o sobre o seu nome e a sua identificação de cliente, para que pudesse aceder à sua ficha de cliente, e dessa forma melhor o ajudar.
- Menina, eu já lhe digo quem sou, mas 1º, gostava que me explicasse o que significa esta argola com um nó!
- Uma argola com um nó? Mas onde?
- Aqui, no computador.
- Se bem compreendi, o sr. visualiza uma argola com um nó no seu computador? Será uma imagem de fundo? Uma fotografia que alguém tenha colocado no ambiente de trabalho?
- Não... Não é uma fotografia... Aparece aqui numa caixinha...

Lá convenci o cliente a identificar-se, e fui fazendo várias perguntas até conseguir "isolar" a situação...
- O seu computador é de mesa, ou um portátil?
- De mesa.
- Disse-me hà pouco que visualizava essa argola com nó numa caixa... Correcto? O que diz essa caixa?
- Diz Nome de utilizador para aceder à Internet, depois mais em baixo, password. E a malvada da argola está aqui no meio...

Pois é, minha gente... A argola com nó era simplesmente a @...
Bom, ensinei o cliente a fazer muitas argolas com nó... E expliquei para que serviam...

Ai de mim!!!


quarta-feira, janeiro 10

Tocou-me...

O texto que se segue foi retirado do Blog Nerinho e Trinkinhas, o qual recomendo. Tocou-me particularmente esta passagem, razão que me levou a reproduzi-la aqui. Já em 2004/Agosto, publiquei aqui no COISAS, um texto fixionado, que só a muito poucos não fará aparecer uma lágrima marota ao canto do olho...
(...) Dizem que eles (os animais), não pensam. Eu afirmo que sim, pensam. Pensam, sentem, sofrem e alegram-se tal como nós, mas se os obresvarmos bem, transmitem-no melhor do que nós o dizemos. Os sentimentos deles são puros, sem qualquer tipo de interesse ao contrário de nós seres humanos que nos dizemos superiores por sermos racionais... Será que o somos mesmo?

Em 6 de fevereiro de 1999, cheguei a casa do trabalho com a minha mãe, e como vinha sendo hábito há alguns meses, assim que chegava, corria para o meu quarto, para ver o meu Menino, que por ser já muito velhinho, quase não via nada, mal andava, pois já não tinha forças para se aguentar e por isso passava os dias praticamente deitado em cima de uma pilha de almofadas confortáveis que nós pusemos no chão. Lá estava ele, meio a dormir, meio acordado, preparei um pouco de leite com Cérelac, tentei com a ajuda de uma seringa dar-lhe de comer para depois lhe mudar a fralda. Sim usava fraldas para ssim poder fazer as necessidades à vontade, sem sujar a casa ou a sua caminha. Mas nesse dia, foi em vão...

O meu Menino só estava à espera que nós chegássemos para se despedir. Era chegada a sua Hora... Quando lhe peguei ao colo, deu-me duas lambidelas (como quem dá dois beijinhos) e partiu... Foi o pior dia da minha vida... Desejei morrer com ele, dar a minha vida em troca da dele... Ainda o desejo se isso fosse possível. Com ele levou toda a minha infância e adolescência... Sinto-me vazia... Só me restam as memórias e os álbuns de fotografias, que ele tanto gostava de tirar. Era muito fotogénico, o rapaz, além de vaidoso.

Escrevo esta história com alguma dificuldade emocional, mas espero que sirva para que aquelas pessoas que olham para os animais e fazem deles o que querem, ao sabos das suas apetências, se lembrem que eles também são seres vivos e que por isso merecem tanto respeito como qualquer pessoa. Aliás, o meu Menino mereceu muito mais respeito do que muitas pessoas que conheci durante toda a minha vida.

Sei que esta história é longa, mas não é nada, comparada com os 17 anos de vida comum que tive com ele. A minha mãe já penso adquirir outro para superar a dor, mas de momento não é possível nem justo fechar um animal em casa durante todo o dia, tal como teve que acontecer com o meu Menino, por ironia do destino.

Espero que surta algum efeito positivo na consciência de todos nós, senão pelos proprios animais, por nós seres humanos que já nos habituámos a olhar para o nosso proprio umbigo." (...)

in:Blog: NERINHO e TRINKINHAS

FRASE(s) de 2006 - I



"O Amor é como a relva! Planta-se e ela cresce! Nisto, vem uma vaca e acaba com tudo!"




Image Hosted by ImageShack.us

Ass: Jorge Nuno Pinto da Costa

 

ESTE BLOG FOI OPTIMIZADO PARA VISUALIZAÇÃO EM 1024X768 Pixels em Google -Chrome,ver. 24.0.1312.57 m ©COPYRIGHT© de Júlio Vaz de Carvalho. ©COISAS 2004-2015, é um WEBBOLG da responsabilidade do seu autor, o seu conteúdo pode ser reproduzido, sempre que referidas as fontes e autores. Todos os textos, notícias, etc., que sejam da responsabilidade de terceiros (pessoais ou institucionais,serão devidamente identificados, sempre que possí­vel, bem como serão referidos os locais a partir dos quais poderão ser consultados no contexto original.Todos os trabalhos publicados por colaboradores do blog,podem ser copiados e divulgados, sempre que seja indicada a sua origem, não carecendo de autorização dos mesmos, caso aqueles assim o manifestem. COISAS, é um Blog quase APOLíTICO e não se rege por ideias pré-concebidas unicamente apoiando causas de reconhecido interesse para a Humanidade, sempre que elas sejam isentas e objecto de reconhecimento universal que vão desde a luta contra os cocós dos Lu-Lus a minar os passeios à legítima pretenção de ver restaurada a Monarquia em Portugal.

Who Links Here